Estabelecendo metas realistas

«Há anos atrás, aprendi um conceito chamado de ‘lançamento de 1 metro’ para a definição de metas. É uma simples mas poderosa analogia que significa, essencialmente, quanto menor o lance (por exemplo, 1 metro de distância), maior a hipótese de sucesso. Quanto maior o lançamento (por exemplo 100 metros), maior a hipótese de falhar (e sentir-se derrotado, como resultado).

Este conceito pode-se aplicar a todo o tipo de metas. Um dos mais comuns seriam certamente saúde e exercício físico. Muito provavelmente já todos caíram na armadilha de estabelecer uma meta na área da saúde que é demasiado ambiciosa, irrealista e insustentável (por exemplo, “Eu não vou comer mais açúcar!” Ou “Eu vou fazer exercício 5 vezes por semana a partir de agora! “). E em breve, mudanças da vida estragam-lhe os planos (começa-se a sentir ocupado, entediado, ou a esquecer-se do que decidiu), e sente-se como se tivesse quebrado um acordo consigo mesmo e deitar tudo a perder.

Isso quer dizer que nunca deve estabelecer objectivos? Claro que não. Mas eles são os seus objectivos – por isso estabeleça aqueles que pode ganhar! Esteja atento – está a criar lances de 1 ou de 100 metros para si mesmo?

Com o GTD, muitas vezes eu vejo pessoas animadas para fazer revisões semanais e comprometerem-se a fazê-las “a partir de agora”. Ou então, fazer uma promessa de manter a Caixa de Entrada a zero todos os dias. Ou sair de um seminário GTD e dizer que vão “fazer GTD” com tudo – para sempre. Para a maioria das pessoas, estas metas não são sustentáveis ou realistas e acabam por fazer as pessoas desistirem por sentirem que nunca serão capazes de lá chegar.

Então, o que seria um objectivo realista para GTD? Bem, isso será você a decidir. Mas eu gostava que desse a si próprio uma hipótese de sucesso. Faça as suas metas realistas e exequíveis.

– Fazer uma revisão semanal é melhor do que um compromisso quebrado de não fazer nenhum.

– Ter a caixa de entrada a zero, uma vez por semana é melhor do que sentir como se estivesse faltando constantemente esse objectivo cada vez que olha para o seu e-mail.

– Implementar um aspecto de GTD (escolher um gestor de listas, obter uma ferramenta boa captura, criar um arquivo) é melhor do que se sentir derrotado por não ter criado tudo o que idealmente deveria.

Eu não sou uma perita em “metas” por si só, mas sei que funciona para mim. Decidir comer melhor na refeição seguinte é certamente um lance de 1 metro bem mais fácil do que um lance de me comprometer a comer perfeitamente para o resto da minha vida. Escolher quando vou fazer a minha próxima revisão semanal é mais viável, em vez de declarar que vou fazê-las para o resto da minha vida.»

Traduzido do artigo original de Kelly Forrister (Coach on the David Allen Company)

About the Author: Nuno Donato

Formador GTD em Portugal. Apaixonado pela ciência do estudo da mente e do comportamento humano, tenta aprender e ensinar as melhores técnicas, ferramentas e estratégias para optimizar o nosso trabalho e maximizar a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *