Saber definir objectivos (parte 2)

(continuação da Parte 1)

2 – Verificar a meta

1 – É descrita pela positiva
2 – Está sob o nosso controle
3 – É testável
4 – É ecológica

2. Está sob o nosso controle

O 2º requisito para um objectivo bem definido é termos controle sobre o processo e/ou actividades que nos permitem atingi-lo.

Por exemplo, “Alcançar uma posição no emprego onde seja melhor remunerado” é algo positivo mas que está descrito de uma forma que não evidencia de que forma podemos ser parte do processo de atingir o objectivo.
Nestes casos, temos que ser capazes de identificar o que é que está ao nosso alcance para lá chegarmos. Considerando o exemplo de cima, poderiam tirar-se vários sub-objectivos que nos permitissem, gradualmente, ir aproximando da meta final (“fazer formação”, “melhorar comunicação com colegas”, etc…)

3. É testável

Ser testável significa que devemos ser capazes de descrever indicadores que nos permitem saber quando alcançamos o objectivo. Algumas perguntas úteis poderão ser:

“Quando/como é que vou saber que já o atingi?”
“O que é que vai ser diferente quando o atingir?”
“Que coisas me indicam que ainda não cheguei lá?”

4. É ecológica

A verificação ecológica de um objectivo desejado serve para garantir que o mesmo é compatível com a nossa condição, crenças e valores presentes e futuros. Muitas vezes tentamos atingir algo sem nos apercebermos da forma negativa como isso pode afectar a nossa vida.
Esta verificação é, essencialmente, um exercício de introspecção para nos pôr em contacto com as nossas motivações e nos ajudar a perceber de que forma algo pode ajudar ou prejudicar as nossas intenções mais profundas. É sobretudo importante perceber que todos os comportamentos têm como base uma intenção positiva, e que essa intenção deve ser garantida.

Quando a ecologia não é respeitada, temos tendência a saber “sabotados” pela nossa própria mente, e é aí que as coisas começam a correr mal, sendo mais fácil culpar factores externos.

Sugestão de algumas perguntas úteis para a verificação ecológica:

“Como sei que vale a pena lutar por este objectivo?”
“Como é que irá afectar a minha vida? família? trabalho? amigos?”
“O que é que mudará na minha vida devido a isto? Em que situações será mau?”
“Quais seriam outros aspectos negativos resultantes de alcançar isto?”

3 – Aplicar GTD e começar

Se os requisitos forem cumpridos e o nosso objectivo estiver bem claro e bem definido então podemos avançar para a sua concretização.
Para quem usa a metodologia GTD, isto implica:

  1. Escrever o objectivo na lista de Projectos (e sub-objectivos/sub-projectos, se for o caso)
  2. No caso de projectos mais complexos
    1. aplicar o Modelo de Planeamento Natural para ganhar mais claridade em relação aos objectivos do projecto, ideias associadas, datas, pessoas, ferramentas, etc
    2. Preparar um local de Material de Apoio para o projecto (físico ou digital)
  3. Definir pelo menos uma próxima acção e colocá-la na lista respectiva

About the Author: Nuno Donato

Formador GTD em Portugal. Apaixonado pela ciência do estudo da mente e do comportamento humano, tenta aprender e ensinar as melhores técnicas, ferramentas e estratégias para optimizar o nosso trabalho e maximizar a vida.

1 comentário

  1. Pingback: Saber definir objectivos Wise Action

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *