Tag Archives: organizar

Criar um Arquivo GTD em versão digital

Nota: este guia está disponível para download em formato PDF na secção de materiais para download.

Após a recolha e clarificação de todas as “coisas” que nos ocupam a vida e atenção, a metodologia Getting Things Done® aconselha a guardarmos (mesmo que seja temporariamente) o resultado desse processo em locais físicos e bem definidos.

As Próximas Acções ficam, logicamente, em listas de próximas acções divididas por contextos. Eventos ou acções com datas específicas vão para uma agenda ou sistema de lembretes e acções que não depende de nós para uma lista de pendentes.

Mas para onde vão todas as coisas que não têm uma acção como resultado? Isto é, todas aquelas sobre as quais não temos que realmente fazer nada. Quando não há uma acção a ser realizada, sobram 3 hipóteses:

  1. Na verdade, não interessa para nada. Vai para o Lixo.
  2. Tem interesse, mas não para já (devido a limitações de tempo, recursos, vontade, etc). Algo que queremos não perder de vista. Vai para a Incubadora (UmDia/Talvez).
  3. Tem interesse apenas de consulta, isto é, serve como material de referência que pode vir a ser útil ou não. Vai para o Arquivo.

Este artigo foca-se apenas no ponto 3, do ponto de vista de uma implementação digital desta componente do sistema GTD.

Ler mais

Implementar GTD em papel

Não são raros os casos de pessoas que depois de alguns meses (ou anos) a experimentarem e procurarem as melhores ferramentas para GTD no mundo digital, acabam por encontrar no papel a sua solução ideal. Existe algum preconceito em relação ao papel que não tem qualquer fundamento. O papel não é sinónimo de um sistema fraco, de uma vida “demasiado simples” e com “poucas coisas para fazer”. Na verdade, há imensos casos de executivos de topo a gerir todo o seu sistema GTD em soluções baseadas em papel.

À medida que mais e mais software se vai adaptando a todas e quaisquer necessidades de organização e gestão de tarefas ou tempo, a sua complexidade aumenta também. Muitas vezes, este aumento de complexidade ou estrutura, acaba por prejudicar mais o nosso fluxo de trabalho do que ajudar. Prende em vez de libertar.
Ao mesmo tempo, é importante que também não seja simplificado em demasia, porque irá estar a tentar comprimir demasiadas coisas diferentes numa só, o que por sua vez irá criar outro tipo de complexidade, confusão ou ineficácia.

Para além disso, ao escolher a forma de implementar o seu sistema GTD, tenha em conta não só aquilo que é prático e fácil para si, mas também aquilo que lhe dá prazer usar.

Em caso de dúvida por qual escolher, comece sempre pelo papel. A experiência diz-nos que com papel cada pessoa terá mais consciência do funcionamento do seu sistema, das necessidades que realmente tem e evita preocupações de portabilidade/sincronização de dados e curvas de aprendizagem.

As componentes essenciais de um sistema GTD em papel

Ler mais

Projectos e Acções

Uma das áreas em que é preciso dar especial atenção em GTD é a “gestão de projectos”. Embora neste artigo não se vá cobrir esse processo a fundo, ficam algumas indicações úteis para uma organização optimizada de projectos e acções.

Vamos essencialmente cobrir aspectos da 3ª fase do fluxo de trabalho de GTD – a organização. Isto pressupõe que já processou adequadamente e sabe distinguir um projecto de uma próxima acção. Lembre-se, um “projecto” em GTD é um objectivo que não é alcançável com apenas uma próxima acção.

Do Processar ao Organizar

Quando, após “processar”, temos uma Próxima Acção, esse item será “arrumado” em apenas uma lista:

  • algo a ser feito por outro – Pendentes
  • algo a ser feito num dia/hora específica – Agenda
  • algo a ser feito o mais cedo possível – Próxima Acções (ou em lista de Contexto específico)

Se, em vez de uma acção, tiver identificado um Objectivo que necessita de múltiplos passos – um projecto – então a descrição desse objectivo será introduzida na lista Projectos.

O que vem a seguir

Ler mais